Visão Geral

Somos uma sociedade anônima, constituída em 13 de agosto de 1980, por prazo indeterminado. Somos controlados indiretamente pelo Carrefour S.A., sociedade controladora do Grupo Carrefour, com sede na França, o segundo maior varejista da Europa, presente em mais de 30 países.

Temos apenas uma classe de ações listadas, com direito a voto, desde nossa abertura de capital em julho de 2017 no segmento Novo Mercado da B3, sob o código CRFB3.

Em 8 de maio de 2017, antecipando a regra prevista no atual regulamento do Novo Mercado, a B3 nos concedeu uma dispensa do percentual mínimo de 25% de ações em circulação e nos autorizou a manter em circulação um mínimo de 15% de nosso capital social, desde que observadas certas disposições relativas a:

  • ao volume financeiro das ações em circulação após a oferta de, pelo menos R$3.000.000.000,00; e
  • ao volume financeiro médio diário de negociação (ADTV) mínimo ações de emissão de nossa Companhia, igual ou superior a R$25.000.000,00, verificado mensalmente, e considerando um período de 12 meses, após os 18 meses contados da realização da oferta inicial de distribuição de ações.

Caso, em qualquer período de 12, verificado mensalmente, a partir do final do 30o mês contato da realização da oferta inicial de ações, seja identificado o desenquadramento da média do ADTV de ações de emissão da Companhia, a manutenção de uma porcentagem das ações em circulação superior a 15% permanecerá automaticamente autorizada por um período de 18 meses, a contar do desenquadramento. Ao final do 18o mês contado do desenquadramento, o percentual de ações em circulação deverá corresponder a:

  • 25% de nosso capital social; ou
  • 15% de nosso capital social, caso a média do ADTV das nossas ações, considerados os negócios realizados nos 12 meses anteriores, atinja o patamar de R$25.000.000,00, consistentemente durante seis meses consecutivos.

O não cumprimento do percentual de ações em circulação, observadas as regras acima, sujeitará a Companhia e seus acionistas controladores às sanções previstas no Regulamento do Novo Mercado.

A dispensa também é condicionada ao cumprimento, pela Companhia, de determinadas práticas de governança corporativa que posteriormente passaram a ser exigências do atual Regulamento do Novo Mercado.